Qual a técnica certa?

Duas coisas tem sido comum no universo da meditação.

Uma. É pacífico, comprovado que as técnicas funcionam e, se a prática for realizada corretamente e por algum tempo, mudanças vão acontecer naturalmente. Você pode ficar mais saudável (e menos doente), com mais energia e disposição, mais atento e criativo, cada vez menos ansioso, tenso, depressivo; suas relações podem melhorar...enfim, quanto mais experimentos são realizados, mais a ciência tem observado os milagres que a meditação pode proporcionar.


Segunda. Existem muitas formas diferentes de meditar, melhor dizendo, são diversos métodos e técnicas. E sobre isso, em geral você não encontra muita informação, boa informação. Pelo menos em minhas pesquisas, tenho percebido mais desencontro, mais confusão que esclarecimentos.

E se existem muitas técnicas diferentes, qual a mais adequada? Qual devemos escolher? Bem, é exatamente esse o ponto. a técnica certa precisa ser encontrada, ou então, talvez, a meditação não consiga penetrar fundo e realizar tudo que ela pode. Minha experiência pessoal foi de um desbravador; tem sido na verdade, uma vez que compreende toda minha vida no momento. Experimentei muitas técnicas do OSHO, não todas, mas diversas. Estive um tempo com monges budistas. Frequentei rituais muçulmanos e também com judeus cabalistas. Durante cerca de dois anos fiz uso de medicinas da floresta em rituais xamãs. Estudei e venho trabalhando com os métodos de mindfulness e health life do Deepak Chopra e desde 2015 tenho estado com Satyaprem, um autêntico mestre Zen que sempre aponta o 'lugar' correto para o qual devemos olhar no que respeita à meditação; à verdadeira meditação.

Quando me perguntam sobre a técnica certa, tenho dito que, principalmente, deve haver persistência. Não devemos desistir na prieira dificuldade. Talvez a yoga não seja para você. E tudo bem quanto a isso. Se ela não lhe serviu, encontre outro método. Faça algumas meditações ativas do OSHO, sem dúvida as mais poderosas que existem. Leia sobre mindfulness e pratique um pouco. Experimente em si e observe os resultados.

Se possível encontre um professor que tenha sensibilidade para lhe apontar e ensinar. Isso pode auxiliar muito, vai encurtar o caminho. Pesquise, leia bastante, pergunte e tire todas as dúvidas antes de praticar. Cuidado com os grupos da esquina e aqueles pretensos 'sabedores' que até mesmo tem criado seus próprios métodos, entrando num perigoso 'mix' de técnicas muitas vezes contraditórias.

E acima de tudo, experimente. E faça de novo. E repita novamente por alguns dias. Se não sentir nenhuma mudança, troque.

Observe-s com total atenção durante o período de prática. Os pequenos detalhes, momentos de atenção, de leveza, de alegria sem nenhum motivo. Seja um observador do que ocorre em seu corpo. Sinta e verifique se a energia muda. Observe também os pensamentos, as emoções, aquilo que sentes e, se puder, as variações de humor. Mas lembre-se, observar é simplesmente observar. Com atenção e desprendimento. Como se estivesse ocorrendo com outra pessoa. O OSHO dizia que meditação é um 'jeito' que você precisa pegar. No início há certa dificuldade mas depois fica mais fácil. Todos os meditadores relatam isso.

No meu caso também tem sido assim. Encontrei a técnica certa pra mim e tenho aprendido a observar, sem identificação, o que se passa no maravilhoso instrumento corpo-mente.

Não tenha nenhuma dúvida que a meditação pode fazer milagres, aliás, somente a meditação pode fazer milagres.

Escolha sua técnica e vá em frente.

77 visualizações

Integrative Center | Rua Delfim Moreira, 12, 1º Andar, Santos/SP | +55 13 996 881 297

shak@gabhishak.com.br 

©2020 by Gabhishak

  • Preto Ícone LinkedIn
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon